Banda Mesa de Bar se posiciona sobre adiamentos de shows

Em live na tarde dessa segunda-feira (25), a banda Mesa de Bar se posicionou sobre os shows que iriam realizar no mês de janeiro e fevereiro e foram adiados para o mês de abril, nas seguintes datas 16,17,18,23,24,25.

Os cantores Luy Diego e Luan costa falaram das paralisações no meio e se posicionaram com solidariedade aos profissionais que trabalham no meio.

“Recomendamos que todas as pessoas que já adquiriram seus ingressos, fiquem com eles e os que não quiserem mais, que procurem os donos dos shows para receberem o dinheiro” Falou Luy Diego.

 

Os cantores ainda disseram que foram pegos de surpresa com o decreto, pois já é sabido que o lockdown não funciona, se funcionasse não teria aumentado os casos.

 

“Luy Diego usando de sua opinião particular disse que é estranho que a promotoria e a procuradora pública do Maranhão se comporte com seletividade e parcialidade, pois no período de campanha eleitoral não se viu essas entidades atuando. “Na época de campanhas, eu via carreatas, caminhas, trios elétricos com quase 10 mil pessoas, candidato com Covid fazendo campanha e nada disso foi visto por essas instituições. Será que somente a classe do entretenimento é que deve ser penalizadas?”. Indagou Luy.
O cantor ainda agradeceu todo apoio dando a eles, pelo então governador do Maranhão que segundo as palavras do músico sempre foi sensível à classe, porém nem tudo o governador pode fazer.
Com a ascensão de uma nova classe média, o setor de entretenimento está em alta – e buscando por pessoas antenadas e que queiram desenvolver esse mercado.

Para se ter uma ideia dessa força, de acordo com os dados do PwC, em 2014 o setor foi responsável por movimentar US$ 42 bilhões e a expectativa é que nos próximos cinco anos exista um crescimento de 10,2%, ou seja, os estudiosos da área acreditam que em 2019 a indústria de entretenimento fature quase US$69 bilhões.

Além da organização de eventos, o setor também demanda mão-de-obra especializada em vários ramos “parceiros”, como gráfica, aluguel de trajes, decoração, músicos, lembranças e muitos outros.

 

Porém, de todos esses, o segmento musical é, hoje, o que gera maior rentabilidade – com mais empregos envolvidos e também um maior faturamento. Mas, não é só essa possibilidade.

 

Confira o conteúdo da live.

Acompanhe essas e outras notícias em Imaranhao.com

 Siga, também o Imaranhao no Twitter, Instagram

Curta nossa página no Facebook

Inscreva-se no nosso canal no Youtube

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: