‘Brincar com a morte é perverso’, diz Maia após governo divulgar dados divergentes sobre o coronavírus

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), voltou a criticar a alteração do governo na divulgação dos dados sobre o coronavírus. Em um post nas redes sociais na madrugada desta segunda-feira (8), ele afirmou que ‘brincar com a morte é perverso’ após o Ministério da Saúde apresentar dois boletins com números divergentes de óbitos na noite deste domingo (7).

“Brincar com a morte é perverso. Ao alterar os números, o Ministério da Saúde tapa o sol com a peneira. É urgente resgatar a credibilidade das estatísticas. Um ministério que tortura números cria um mundo paralelo para não enfrentar a realidade dos fatos”, afirmou.

O deputado informou ainda que a comissão externa da Câmara que trata da Covid-19 vai ‘se debruçar sobre as estatísticas’. “É urgente que o Ministério da Saúde divulgue os números com seriedade, respeitando os brasileiros e em horário adequado. Não se brinca com mortes e doentes”, finalizou.

Confusão nos dados

Neste domingo (7), o Ministério da Saúde divulgou dados diferentes sobre a quantidade de mortos e infectados por Covid-19. Questionado, o governo ainda não explicou a razão da diferença dos dados.

O primeiro balanço do ministério apontava para 1.382 mortes nas últimas 24 horas, elevando o total de óbitos para 37.312. O segundo, no entanto, divulgado no painel oficial do ministério que acompanha a evolução da doença, informava 525 óbitos, somando 36.455 mortes desde o início da pandemia no Brasil.

A diferença na apuração das mortes das últimas 24 horas entre os dois balanços é de 857 pessoas.

Segundo balanço do coronavírus divulgado no domingo (7) — Foto: Reprodução

O número de casos informados nas últimas 24 horas também é diferente. O primeiro balanço indicava 12.581 casos, levando o total de casos confirmados para 685.427. O painel oficial do ministério, no entanto, apontava para 18.912 casos a mais da doença, somando 691.758 casos.

Acompanhe essas e outras notícias em Imaranhao.com. Siga, também o Imaranhao no TwitterInstagram e curta nossa página no Facebookse inscreva no nosso canal no Youtube. Entre em contato com nossa redação pelo WhatsApp ou ligue (98) 98400-0977.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: