Cancelamento do shows em Barreirinhas causará grande impacto econômico

Vivemos um momento de recessão com a falta de emprego e vivendo apenas de um auxílio que já se foi tudo isso devido a pandemia da Covid-19.

É a cidade de Barreirinhas não ficou fora desse contexto, porém com muito empenho e trabalho a equipe de saúde do município conseguiu zerar casos ativos na cidade.
Após isso, a cidade começa a respirar ar de recomeço e a maiorias das coisas, como estabelecimentos comerciais, bares e casas de shows voltam a funcionar e novamente movimentar dinheiro, gerando emprego e renda ao município.

Mais parece que voltar a vida normal não será tão fácil, uma vez que o governo estadual, comunista, acha que tem o direito de proibir as pessoas de usufruir de seu lazer ou ter o direito de decidir sobre o que quer, e o correto para si.

Tudo hoje não pode devido a transmissão do Covid-19, porém um caso curioso é que nas campanhas eleitorais deste ano de 2020, o corona “deu um tempo”. Estranho né! Pois é, os casos não aumentaram, ninguém morria e as grandes passeatas, comícios disfarçados de reuniões e carreatas que para o governador do Maranhão, isso nunca transmitiu nem tão pouco aglomerava.

O que soa mais curioso ainda é que, depois dos candidatos de Flavio Dino terem perdido em várias cidades do interior, inclusive na capital, São Luis, o governador decidiu publicar novo decreto proibindo qualquer tipo de ajuntamento com mais de 150 pessoas.

Mais para resumir tudo isso, Barreirinhas é uma cidade turística  e que sua principal fonte de renda vem do turismo e suas atrações que fazem o turista vir a cidade.

Recentemente, foi anunciado o show do cantor forrozeiro Vitor Fernandes, faltando apenas 24 horas para o show acontecer, a promotoria da cidade de Barreirinhas, alegando que corre o risco de mais transmissões e se baseando no decreto do governador do estado pediu a suspensão do show que foi deferido a favor da promotoria pelo Juiz da Comarca de Barreirinhas.

O MPMA argumentou que a realização da festa – cujos ingressos estavam sendo vendidos a R$ 2 mil por suíte, dando direito a 15 pessoas em cada quarto – traria risco à saúde pública devido à aglomeração de pessoas. Na visão do órgão, o evento teria centenas de participantes e não a quantidade de pessoas estabelecida pelo decreto estadual nº 36.203/2020.

“A realização do show anunciado na cidade e regiões vizinhas se insere na categoria de grande porte e coloca em risco iminente a população, considerando o perigo de aumento de contágio por Covid-19”, ressaltou o promotor de justiça, na Ação.

Assim suspendendo até segunda ordem o show que certamente, iria contribuir em muito na movimentação de dinheiro na cidade. Segundo informações a produção do show está recorrendo.

Opinião

Não estamos aqui atacando o promotor, tão pouco o juiz, mais direcionamos nosso editorial para o governador do Estado que acha que é dono de tudo e pode fazer o que quiser nas vidas das pessoas e não liga para o povo que precisa trabalhar e viver.

Espaço aberto aos citados. Estamos em contato com o promotor de Barreirinhas.

 

 

Acompanhe essas e outras notícias em Imaranhao.com.

Siga, também o Imaranhao no Twitter, Instagram e curta nossa página no Facebook,

inscreva-se no nosso canal no Youtube.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: