Casos de gripe crescem nas unidades hospitalares do Maranhão

Superintendente de Epidemiologia e Controle de Doenças da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Tayara Pereira afirmou que tem sido observado o aumento de doenças respiratórias nas unidades hospitalares do estado.

Isso se revela uma preocupação, tanto que o Governo do Estado reforçou a mobilização e orientação aos municípios sobre sazonalidade da Influenza A e outros vírus respiratórios.

Na semana que passou, o Ministério Público do Maranhão expediu uma recomendação à SES, para que fosse adotadas providências diante da possibilidade de surto de H3N2 (chamada de cepa Darwin) no estado, uma vez que no Brasil o vírus já se espalhara, causando inclusive óbito em alguns estados.

O vírus H3N2 provoca os típicos sintomas de gripe, como dor de cabeça, febre, dor de cabeça e congestão nasal.

Dias depois dessa recomendação, foi registrado o primeiro caso confirmado por laboratório de Influenza subtipo H3N2 no Maranhão. O caso, que evoluiu para cura, é acompanhado por equipes do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS).

O paciente, um garoto de 10 anos, registrou atendimento na rede hospitalar particular com quadro com sintomas de febre, tosse e obstrução nasal, teve o resultado da amostra coletada em 15 de dezembro e liberado na última quarta-feira (22).

A equipe da epidemiologia fez o acompanhamento do caso junto a unidade hospitalar e a gente mandou amostra para o Instituto Evandro Chagas (no Pará) para análise e sequenciamento genético.

“Estamos em um período sazonal, então desde novembro se iniciou o período chuvoso no Maranhão, e consequentemente há um aumento de casos de pacientes com sintomas gripais. A gente vem percebendo no estado um aumento no número de casos e a gente vem já trabalhando com as unidades hospitalares para orientar os profissionais quanto às condutas que deverão ser necessárias, assim como orientar a população em geral sobre a diferença do que é uma gripe, o que é covid, o que é resfriado”, disse Tayara Pereira.

A superintendente orienta que pessoas que apresentem sintomas gripais como tosse, febre, coriza, elas devem ser atendidas por uma unidade de saúde de referência do município e quando apresentar sinais de agravamento devem comparecer a uma unidade hospitalar também de referência, em geral, as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

Neste mês de dezembro a SES divulgou uma Nota Técnica, alertando sobre a circulação de Influenza A (H3N2) e outros vírus respiratórios, onde foi descrito o cenário epidemiológico da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e Síndrome Gripal (SG) por Influenza no Brasil e no Maranhão no ano de 2021.

No documento, contém orientações como: diagnóstico laboratorial; forma correta da coleta; acondicionamento e transporte de amostras; cadastro das amostras; tratamento clínico; e orientações para prevenção de Síndromes Gripais.

Na última quinta-feira (23), foi realizada uma reunião via web com representantes dos Núcleos de Vigilância Epidemiológica Hospitalar, coordenadores de Vigilância Epidemiológica Municipais e Regionais de Saúde sobre a Nota Técnica da Influenza.

Durante a capacitação, além da apresentação da Nota Técnica nº 04/2021, os participantes foram instruídos sobre a inserção e atualização de Fichas no Sistema SIVEP-Gripe e fluxo de envio de amostras.

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: