Cerca de 300 famílias sobrevivem de lixão onde menino foi fotografado com árvore de Natal, em Pinheiro

Em meio a muito lixo e urubus, cerca de 300 famílias sobrevivem diretamente do lixão do município de Pinheiro, distante 333 km de São Luís, é o que revelam dados da Defensoria Pública do Estado do Maranhão (DPE-MA). O local é o mesmo no qual o menino Gabriel, de 12 anos, foi fotografado encontrando uma árvore de Natal.

Em funcionamento na zona rural do município há aproximadamente 30 anos, a realidade das centenas de famílias que vivem do lixão de Pinheiro, reflete nos dados sobre a pobreza e miséria divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Pinheiro tem mais de 80 mil habitantes e um município mais importantes da região da baixada maranhense. A economia local é baseada na agricultura e pesca.

De acordo com o Índice de Perda de Qualidade de Vida (IPQV), do IBGE, o Maranhão é o Estado com maior perda de qualidade de vida e tem o pior desempenho socioeconômico do país. O relatório mostra em qual área rural há maior perda da qualidade de vida em que na urbana.

O IPQV adota medidas que vão de 0 a 1, sendo que, quanto mais perto de zero, menor a perda. O índice do Maranhão chega a 0,260.

Menino Gabriel, de 12 anos, ao encontrar árvore de Natal, no lixão de Pinheiro. (Foto: Carlos Arte)

Pior desempenho socioeconômico

O Maranhão aparece em última posição no Índice de Desenvolvimento Social (IDS), com 4,897. O índice incorpora a renda e as perdas de qualidade de vida em nove dimensões (renda, moradia, acesso aos serviços de utilidade pública, saúde, educação, acesso aos serviços financeiros e padrão de vida, alimentação, transporte e lazer e viagens).

A realidade crítica que parte da população maranhense vive também foi destaque em um relatório divulgado em setembro pela Organização das Nações Unidas (ONU). O Maranhão apareceu como o Estado em que mais pessoas vivem na miséria. Em 2019, quase 20% dos habitantes viviam com renda mensal abaixo de R$ 145.

Registro

A foto do menino Gabriel, com a árvore de Natal, foi feita pelo fotógrafo João Paulo Guimarães. Com a repercussão da imagem, Gabriel acabou ganhando uma árvore nova, além de outras doações arrecadadas em uma campanha on-line.

“Passei o dia com eles fotografando no lixão. E eu vi quando o Gabriel abriu o saco e puxou. Eu lembro disso como se fosse assim em câmera lenta, acontecendo na minha frente. E eu só virei e comecei a fotografar”, contou no programa.

“Ele virou pra mãe e falou assim: ‘mãe, olha só a gente pega, ajeita essa árvore, ela tá torta, mas a gente ajeita ela, e a gente pega esse pisca-pisca, essas luzes e dá pra colocar na sala no dia do natal’. Quando ele falou isso acabou pra mim ali, aí eu não consegui mais fotografar”, completou João Paulo.

Ainda segundo o fotógrafo, após conversar com Gabriel, ele descobriu que o sonho do garoto é ganhar um celular para assistir, principalmente, às aulas. Após aquele dia, João também conseguiu organizar uma vaquinha on-line que garantiu uma árvore de Natal novinha para o maranhense.

O Governo do Maranhão e a Prefeitura de Pinheiro não se manifestaram sobre o caso até o momento.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: