Coluna do Professor Ameliano Farias: Da ascensão ao declínio

O tempo tem mostrado que nada durante os séculos, tem permanecido de pé eternamente! Tudo tem obedecido a ordem cronológica: início, meio e fim, claro que em toda regra, existem as exceções! Alguns eventos são antecipados naturalmente, outros por motivos de conflitos de interesses!
Essa linha do tempo expõe as vísceras da imunidade, que o tempo cumpre seu papel e propósitos, sem distinção de raça, gênero, religiosidade ou poder.

O mundo viveu durante séculos, sobre domínios de impérios que subjugou o povo,
levando -o a viverem tempos obscuros, mas foram nesses momentos de trevas, que mentes foram: usadas, iluminadas, despertadas. Ideais começaram a deslumbrar, líderes são chamados, concretizando assim, caminhos para a libertação das nações oprimidas.

O primeiro império foi o Egito. Império que subjugou durante séculos o povo hebreu, que acompanhou Jacó, no período dos 7 anos de fome que assolou o mundo, quando José (filho de Jacó) era governador do Egito. O povo hebreu se multiplicou de tal maneira, que se tornou uma ameaça para o novo Faraó. Mas surge o libertador,”Moisés”, e Faraó e seu exército vão ao fundo do mar vermelho.
Vem os assírios, levantam o império,que expulsam Israel, deportam judeus de sua pátria, e estrangeiros trazidos para habilitar Israel.

Após três anos de cerco, Babilônia invade o reino do sul (Jerusalém), levando milhares de cativos. Onde permaneceram 70 anos. Apesar de seu poder, superioridade e exuberância dos jardins suspensos, se levanta um império duplo: Medos e Persas, trazendo a liberação dos judeus do cativeiro babilônico e restaurando Jerusalém. Mas eis que surge Alexandre com o império Grego, destronando o duplo poder, Medos/Persas, trazendo total controle e tempos angustiosos.
Então surge o império mundial de ferro, representado por Roma. Ferro conota dureza, crueldade. Mantendo o mundo sobre sua pax( paz através da espada). Foi sobre essa falsa paz, que o Messias dos judeus veio ao mundo. E este dominou por séculos, mas não prevaleceu!

O que resta como consequência é o processo de declínio desses impérios, ou seja, a fragmentação do poder, a impossibilidade de imposição do domínio sobre o pensamento!
O que se confirma pela ordem natural do tempo é que: a prepotência, a desumanidade, soberba e auto confiança, por se só causou sua auto destruição.A liberdade sempre tem um preço, para muitos o preço foi a vida, sonhos. Alguém se sacrificou para que muitos sobrevivessem às forças do imperialismo e ditaduras mundiais.
O que tem fortalecido o inesgotável desejo de lutar, e a manutenção da ordem e da liberdade, são os resultados das lutas empreendidas! Essas lutas tem evidenciado que não há impérios, nem ditaduras que se sustente quando a nação (povo), mantém acessa a luz do pensamento.

Por Ameliano Farias

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: