Cresce o número de cidades em situação de emergência; Agora são 24

Segundo o Corpo de Bombeiros, a cidade de Codó integra a lista de áreas em risco. A cidade é cortada pelo Rio Itapecuru, que já esteve acima dos sete metros. O nível aceitável, segundo a Defesa, é de até 6,80 metros. O volume de água do rio coloca centenas de famílias em risco de alagamento e inundações. Mais de 15 famílias foram orientadas a sair de suas casas a fim de evitar acidentes.

Em Imperatriz, segundo levantamento da Defesa Civil Estadual, aproximadamente 700 famílias foram atingidas pelas inundações por conta das chuvas. Destas, 200 estão desabrigadas. Além da montagem de barracas para abrigo de famílias, os bombeiros ajudaram a instalar um posto de saúde em acampamento para atender a comunidade ribeirinha.

Em Santa Helena, onde a situação é mais grave, a Cruz Vermelha visitou famílias em 11 abrigos no último fim de semana. A cheia do rio Turiaçu deixou casas quase encobertas e quase oito mil pessoas estão desalojadas ou desabrigadas na cidade.

Na última semana, a cheia do rio Pindaré causou vários transtornos aos moradores de Pindaré-Mirim, a 255 km de São Luís. No total, 1.013 pessoas estavam desabrigadas e 96 desalojadas. A cidade também decretou situação de emergência.

Ajuda humanitária

A Cruz Vermelha está recebendo doações para as famílias desabrigadas pelas chuvas em todo o Maranhão. De acordo com a entidade, as famílias sofrem com falta de água potável, colchões, roupas, alimentos não-perecíveis e itens básicos de higiene.

É possível contribuir levando doações à sede da Cruz Vermelha Brasileira na Avenida Getúlio Vargas, 47, Monte Castelo, São Luís. Para tirar dúvidas, também é possível ligar nos números 3249-9712, 99136-7276 e 98145-3700. Do G1ma

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: