Decisão do acesso em aberto: Imperatriz e Juventude ficam no 0 a 0 e decidem no próximo jogo

O Imperatriz começou fazendo aquilo que se esperava diante de casa cheia no Frei Epifânio: pressionou a saída de bola do Juventude, visando valorizar e recuperar a posse ainda no ataque. Com o Alviverde totalmente acoado nos primeiros 25 minutos, o Cavalo de Aço investiu nas jogadas nas costas dos laterais do Juventude, principalmente com Renan Luís pela esquerda e Lucas Campos pela ponta-direita. Assim conseguiu vários escanteios e oportunidades de bolas alçadas. Em uma das várias oportunidades de abrir o marcador, Lucas Campos soltou um foguete que passou tirando tinta da trave de Marcelo Carné. O Alviverde era, então, pressionado a todo momento, sem chance de desenvolver seu jogo.

 

 

O Juventude, com a bola, não era obejtivo e tinha dificuldade de penetrar na área. Pecava, principalmente, no último passe. Um dos poucos lances de perigo veio com Renato Cajá, que ao receber uma bola na entrada da grande áerea, executou um belo chute fazendo o goleiro colorado Jean, apenas tirar a bola com os olhos. Nos últimos minutos o Juventude praticamente apenas se defendeu. Prendia a bola no meio de campo, esperando o Impertriz agir e voltar a jogada com a defesa.

Os times voltam a duelar pelo mata-mata da Série C na próxima segunda (9), no estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul-RS. A partida está marcada para às 20h.

O regulamento não prevê mais o gol qualificado e, com isso, uma vitória para qualquer lado no Rio Grande do Sul carimba o passaporte para as semifinais da Terceirona e, consequentemente, a vaga para a Série B de 2020. Um novo empate, com gols ou não, levará para as cobranças de pênaltis.

 

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: