fbpx

Departamento de Zoonoses de Barreirinhas inoperante, animais doentes soltos nas ruas preocupa população

Foi noticiado por vários blogs e meios de comunicação de outros municípios e estado, o descaso com que é tratado os animais em Barreirinhas e a falta de compromisso da gestão pública do município em relação aos casos crescentes de animais abandonados e com doenças como, leishmaniose visceral ou esplenomegalia tropical, sinomose, dermatite contagiosa postular e outras.

Conhece-se, que, há mais de dez anos não existe vagas em concursos feitos para veterinário na cidade por isso nada no sentido de promover ações é visto no município.

Procuramos a veterinária e o departamento de zoonoses, porém ninguém atendeu nossas ligações e tão pouco responderam nossas mensagens.

Centro de Zoonoses é a opção adotada pelo governo para garantir o bem-estar de animais e da população. Agindo no controle das zoonoses (doenças que podem ser transmitidas de animais para seres humanos) e na prevenção de epidemias. Tais unidades de saúde já podem ser encontradas hoje em todos os estados do País. Embora nem todo mundo saiba exatamente como funciona ou qual é o trabalho realizado pelo centro de zoonoses, muitos se sentem mais familiarizados com o tema quando se fala em “carrocinhas”.

A definição clássica de zoonoses é a de doenças que são transmitidas de animais para humanos, ou de humanos para os animais. A Organização Mundial da Saúde (OMS) define a zoonoses como “Doenças ou infecções naturalmente transmissíveis entre animais vertebrados e seres humanos”.

A transmissão pode ocorrer de forma direta, principalmente através do contato com secreções (saliva, sangue, urina, fezes) ou contato físico como arranhaduras ou mordeduras. De forma indireta, pode acontecer por meio de vetores como mosquitos e pulgas, por contato indireto com secreções, pelo consumo de alimento contaminado com o agente (viral, bacteriano, fúngico ou parasitário), entre outras.

A capacidade de transmissão é influenciada pelo período de incubação, densidade populacional, práticas agropecuárias, estabilidade do agente, virulência do agente.

Noticiário 

O problema não tem incomodado somente os nativos como também os turistas que circulam  na orla além dos empresários que circulam e tem seus estabelecimentos comerciais no local,  sempre reclamam de animais soltos de pequeno e grande porte que a todo minuto estão incomodando quem utiliza os restaurantes.

Um dos problemas maiores no local é os animais de grande de porte que após os expedientes bagunçam o lixo  em busca de comida causando muito transtorno no local.

“Aqui é diariamente nos encaramos esse problema, muitos animais soltos que  as vezes espantam nossos cliente,  e bagunçam o lixo, reviram tudo e quando chegamos pela manhã temos que arrumar tudo novamente, que queremos é que isso acabe e que deem um jeito nesse problema”. Disse seu Artur – dono de restaurante.

Para a turista carioca, Cristina Azevedo, algo desse tipo é inadmissível em uma cidade turística.

“Quando vim na primeira vez vir essa questão dos animais abandonados e solto aqui, e agora 5 anos depois achei que tinha mudado, mais vi que permanece a mesma coisa e isso em uma cidade como essa é inadmissível. Eles precisam ter um lugar para ficar”. Disse Cristina.

 

Entramos em contato com a assessoria de comunicação da prefeitura, porém sem respostas.

 

Acompanhe essas e outras notícias em Imaranhao.com

 Siga, também o Imaranhao no Twitter, Instagram

Curta nossa página no Facebook

Inscreva-se no nosso canal no Youtube

 

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: