“É desolador, a cidade parou”, conta repórter do município catarinense onde crianças foram mortas em escola

Logo após o crime que chocou o município de Saudades, no oeste de Santa Catarina, a repórter Simone Fernandes, que trabalha na Rádio Saudades – veículo de comunicação do município – concedeu uma entrevista à Rádio Gaúcha contando detalhes sobre os momentos que a comunidade local tem vivenciado nesta terça-feira (4).

Ao menos três crianças, uma professora e uma auxiliar da escola foram mortas por um jovem que invadiu a Escola Infantil Pró-Infância Aquarela por volta das 10h.

— É triste demais vir aqui e falar de um assunto tão inacreditável. São coisas que não acontecem corriqueiramente em cidade pequena como aqui. É desolador. As professoras, merendeiras, toda a equipe está precisando de atendimento. As mães que não conseguem nem ter uma palavra neste momento. Eu sei o que é ter um filho numa creche, isso é uma coisa que a gente não espera — disse, emocionada.

Após o ataque, segundo o delegado regional de Chapecó, Ricardo Nilton Casagrande, o suspeito teria deixado o local caminhando, quando foi abordado por pessoas que estavam próximas a escola. Simone conta que o jovem é conhecido por todos na comunidade como uma pessoa “comum”.

— Ficamos sem chão. Ninguém esperava um ato desses, de desumanidade na nossa cidade. A cidade parou, está todo mundo em frente à escola prestando solidariedade aos pais. São pessoas da nossa convivência. Para essas mães que perderam seus filhos será o pior Dia das Mães — lamenta a repórter.

A Polícia Civil informou que o suspeito, de 18 anos, foi detido após o crime.

Pela GZH


Acompanhe essas e outras notícias em Imaranhao.com

Siga, também o Imaranhao no Twitter, Instagram

Curta nossa página no Facebook

Inscreva-se no nosso canal no Youtube


Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: