Erlânio Xavier, de Igarapé Grande, oculta destino de R$ 7,3 milhões com pandemia

A gestão Erlânio Xavier (PDT) em Igarapé Grande mantém oculto o destino dado a exatos R$ 7.346.573,68 enviados no ano passado pelo governo Jair Bolsonaro (sem partido) para enfrentamento à pandemia do novo coronavírus no município.

A informação consta em levantamento divulgado na sexta-feira (11) pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado) do Maranhão, com base em cruzamento de dados dos portais da transparência do Governo Federal e do próprio município, com informações do sistema de acompanhamento de contratações públicas, o Sacop, da própria corte.

Segundo o tribunal, no montante recebido, não foi informado sequer um centavo gasto com a pandemia.

O ATUAL7 tenta ouvir a gestão municipal e o prefeito de Igarapé Grande sobre o assunto. O site da prefeitura fornece como contato apenas um formulário, e o pedetista disse em mensagem pelo WhatsApp que responderá os questionamentos feitos após concluir uma reunião. O espaço segue aberto para manifestação.

Erlânio Xavier é presidente da Famem (Federação dos Municípios do Estado do Maranhão), e tem participado de encontros com o próprio Tribunal de Contas e o Ministério Público do Maranhão para discutir sobre ações de transparência em assuntos relacionados à Covid-19.

Na semana passada, o ATUAL7 mostrou que Igarapé Grande tem divulgado no site institucional da prefeitura número maior de casos e óbitos em decorrência da doença do que o confirmado pela SES (Secretaria de Estado da Saúde), do Governo do Maranhão.

Em 2012, Erlânio Xavier foi preso pela Policia Federal no bojo da Operação Allien, deflagrada com o objetivo desarticular suposta organização criminosa suspeita de fraudar licitações e desviar recursos públicos federais. À época, ele era vice-prefeito de Igarapé Grande.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: