Fluminense leva susto, mas goleia o Moto Club e se classifica com show de Nenê

O Fluminense mal entrou em campo pela Copa do Brasil, e sua torcida se viu agoniada. O Moto Club abriu o placar com 40 segundos e fez 2 a 0 com 11 minutos de jogo. Mas o Tricolor acordou do susto a tempo de espantar a zebra na noite desta quarta-feira: com dois gols de Nenê, um de Nino (em posição irregular) e outro de Marcos Paulo, o time de Odair Hellmann virou para 4 a 2 no Castelão de São Luís, no Maranhão. Placar que classifica o time para enfrentar o Botafogo-PB na segunda fase e alivia a pressão dias após a eliminação precoce na Copa Sul-Americana.

Fique ligado!

O Fluminense já volta a campo pela Copa do Brasil na quarta-feira da semana que vem, às 19h15 (de Brasília), no Maracanã. Lembrando que a segunda fase também é em jogo único e sem vantagem (empatou é pênalti), e o mando de campo foi decidido por sorteio da CBF. Antes, porém, o Tricolor volta o foco para o Campeonato Carioca e estreia na Taça Rio no domingo, às 16h, contra o Madureira no Maracanã.

Show de Nenê

Nenê fez dois gols sobre o Moto Club

Nenê fez dois gols sobre o Moto Club (Foto: MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC)

Chamado de “Vovô” pelos garotos do elenco, Nenê voltou a brilhar com a camisa tricolor em 2020 e foi decisivo para a classificação. O meia sofreu e converteu o pênalti que iniciou a reação; fez um golaço de falta que empatou o jogo e deu a assistência para Nino no gol da virada. Aos 38 anos, ele vem mostrando fôlego de menino, a categoria de sempre e é disparado o artilheiro do Fluminense na temporada com sete gols.

Os 90 minutos

Fluminense vence de virada o Moto Club na estreia da Copa do Brasil

Fluminense vence de virada o Moto Club na estreia da Copa do Brasil (Foto: MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC)

A bola rolou, e o Moto Club abriu o placar com Walace, de cabeça após escanteio, com apenas 40 segundos de jogo. Wesley quase ampliou também de cabeça, mas foi Jeorge Belmonte que marcou o segundo 10 minutos depois, após assistência de Silvio. 2 a 0 e Fluminense atordoado em campo. Até que Nenê chamou a responsabilidade. O meia sofreu e converteu o pênalti que recolocou o time na partida aos 16. A partir daí, o Tricolor passou a pressionar com Pacheco, Gilberto, Nino… Mas o empate só aconteceu na etapa final, com Nenê cobrando com categoria falta sofrida por Ganso aos três minutos. Com o placar desfavorável, os maranhenses voltaram a atacar e assustaram com Silvio, que acertou a rede pelo lado de fora após “furada” de Muriel aos 12. Só que aos 26 os cariocas jogaram a pá de cal: Nenê cobrou falta na área, e Nino virou o marcador. Ainda deu tempo de Marcos Paulo, que entrou no lugar de Pacheco, deixar o dele aos 38 e transformar a vitória em goleada.

GE/MA

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: