fbpx

Gestão Cid Costa suspeita de desviar R$ 2 mi da Covid-19 em Buriti Bravo

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) do Maranhão divulgou nesta semana a relação dos repasses destinados aos municípios, para o combate da Covid-19 em 2020.

De acordo com o relatório, a gestão do ex-prefeito Cid Costa (PTB), no município de Buriti Bravo, recebeu R$ 3.313.035,86, com a aplicação efetiva de apenas de R$ 952.004,50, o que equivale a 28,74 % do recurso recebido.

Com a divulgação dos dados, a população buriti-bravense começou a fazer a célebre pergunta: “Cadê o dinheiro que estava aqui?”.

A indignação dos  populares acontece, devido à falta de transparência nas ações executadas no ano de 2020 para o combate da Covid-19.

O que se viu no município de ação, foi apenas a colocação de seis cabines de desinfecção que até então, nunca funcionou de forma efetiva e que ficaram sem utilidade na Praça principal da cidade após a saída do prefeito do cargo. Além do mais,  Cid Costa, fez a entrega de poucas quantidades de sabonetes, que segundo ele, eram “kits de higienização”  para justificar o valor recebido.

Desvio

Além da pouca aplicação dos recursos, em Buriti Bravo acabou até virando chacota a compra de uma fazenda, supostamente com recurso desviado do combate à Covid-19.

A propriedade fica na rodovia MA-034 (saída para Caxias) e acabou sendo apelidada de “Fazenda Covidão”, porque segundo a adversários do ex-prefeito, o recurso teria sido aplicado em benéfico próprio.

Investigação 

De acordo com o TCE, o levantamento divulgado aponta para a existência de algumas “assimetrias” em relação à aplicação dos recursos de combate à pandemia. E serão solicitado ao ex-gestor esclarecimentos sobre a aplicabilidade dos recursos recebidos no município de Buriti Bravo.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: