Lula deixa prisão, parte para o ataque e anuncia que vai rodar o país

Em seu primeiro discurso depois de 580 dias de prisão por corrupção, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva discursou em meio a apoiadores que aguardavam sua saída da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR). Como fizera em entrevistas na carceragem, atacou o Judiciário, o Ministério Público, a Polícia Federal e o que chamou de “lado podre do estado brasileiro”.

Na fala raivosa, com nuances de chavismo, disse que sua prisão foi uma tentativa de “matar uma ideia” e afirmou que retomará sua atuação política. Emendou uma frase com ares de candidato: “Não vou permitir que esses caras entreguem o país” – embora ele não possa disputar eleições porque é ficha-suja.

Da capital paranaense, o ex-presidente embarcou para São Paulo e participará de um ato no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC neste sábado. O petista anunciou que quer viajar em caravanas pelo país. Também pretende ir na posse do presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández, no dia 10 de dezembro.

Lula foi solto beneficiado pela decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) desta quinta-feira, que derrubou a prisão após a condenação segunda instância.

Discurso

Agradecimento à militância de esquerda

“Não imaginei que hoje eu poderia estar aqui conversando com homens e mulheres que durante 580 dias gritaram ‘bom dia Lula’, ‘boa tarde Lula’, ‘boa noite Lula’. Não importa que estivesse chovendo, 40 graus, zero grau, todo santo dia vocês eram o alimento da democracia”.
“Não importa que estivesse chovendo, 40 graus, zero grau, todo santo dia vocês eram o alimento da democracia que eu precisava para resistir à safadeza e a à canalhice que o lado podre do Estado brasileiro fez comido e com a sociedade. O lado podre da Justiça, do MPF, da PF, da Receita. Trabalharam para tentar criminalizar a esquerda, o PT e o Lula”.

Ataque ao Judiciário, Lava-Jato e Polícia Federal

“Fiquei mais fortalecido, mais corajoso, eu quero que vocês saibam que, além de continuar lutando para a melhorar a vida do brasileiro, que está uma desgraça, vou lutar para que esses caras não entreguem o país. Quero dizer em alto e bom som o que o lado mentiroso da Polícia Federal fez no inquérito contra mim. O lado canalha e mentiroso da força-tarefa [da Lava Jato], do Moro.”

Chavismo

“Eles tem que saber que eles não prenderam um homem, eles tentaram matar uma ideia, e uma ideia não se mata, uma ideia não desaparece, e eu quero lutar para provar que se existe uma quadrilha e um bando de mafioso nesse país, essa maracutaia que eles fizeram liderados pela Globo, de que o PT tinha que ser criminalizado, que o Lula era bandido. Se pegar o Dallagnol, o Moro, alguns delegados da PF e bater no liquidificador, não é 10% da honestidade que eu represento nesse país”.

Bolsonaro

“Só para lembrar que não é só o Bolsonaro que é capitão. Eu tenho o meu capitão, não se aposentou como tenente e virou capitão, se aposentou como capitão de verdade, é ele que tem que bater continência pra você”.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: