Mais de 53 mil benefícios aguardando parecer do INSS no Maranhão

Fila para atendimento num dos postos do INSS.

Nesta semana o Governo Federal anunciou que pretende contratar temporariamente cerca de 7 mil militares da reserva para reforçar o atendimento nas agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Em dezembro de 2019 foram registrados mais de 2 milhões no estoque de requerimentos (quando a concessão do benefício ultrapassa 45 dias). No Maranhão o número é superior a 53 mil benefícios.

O número de requerimentos de aposentadorias, pensões, auxílios da Previdência Social e do Benefício de Prestação Continuada (BPC) no Brasil saltou de cerca de 715 mil por mês no início de 2018 para 988 mil mensais atualmente.

O gerente executivo do INSS no Maranhão, Cayus Matias, vê com bons olhos a contratação dos militares. “Nos últimos anos a democratização dos canais de solicitação foi uma medida que facilitou a vida da população. Contudo, o aumento da demanda nos fez chegar a um estágio em que é imprescindível uma ajuda externa”.

Segundo o secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, a medida do governo federal tem como meta zerar o estoque de processos acumulados até o fim de setembro. Os militares devem ser locados em serviços de atendimento para que funcionários do INSS sejam remanejados para reforçar a análise dos processos. O Maranhão conta com cerca de 400 funcionários. Destes, 100 estão responsáveis por prestar atendimento presencial.

Transformação

Cayus Matias afirmou que o processo de transformação digital do INSS, implantado em 2019, facilitou o acesso ao requerimento do benefício pela população e deixou o processo mais célere.
“O sistema é hoje 100% digital e a solicitação de benefícios só pode ser feita via canais remotos. O beneficiário faz o requerimento e aguarda a resposta. A variedade dos canais de entrada facilitou a vida da população, mas impulsionou o crescimento interno da demanda”, explicou.

O gerente comentou que o sistema antigo criava uma falsa impressão de celeridade. “A pessoa precisava fazer um agendamento para poder apresentar a documentação. A visita, em algumas situações, levava meses. Apesar do processo ser iniciado com o agendamento, o segurado acreditava que ele começava apenas com a visita”, explicou.

Para Cayus, mesmo com a perda da capacidade operacional nos últimos anos devido ao número de aposentadorias, uma série de mudanças implantadas nos últimos anos garantiu mais efetividade ao sistema. “Antigamente a distribuição das demandas era desigual. Existiam lugares que recebiam mais e outros menos solicitações de benefícios. De 2019 para cá avaliação dos pedidos é universal. Ou seja: um servidor do Maranhão analisa pedidos do Brasil inteiro. Isso melhorou muito a capacidade operacional do INSS”.

O gerente acredita que a colocação de força máxima dos servidores do INSS na análise de requerimentos não irá solucionar definitivamente os problemas, mas é uma medida bem-vinda. “A ajuda dos militares no atendimento irá colocar todo mundo que tem qualificação e hoje faz atendimento na análise, o que é um avanço. Servidor da casa tem que fazer análise de direito, não tarefas menores. No entanto, sou cético em relação a soluções definitivas porque o INSS é um processo, não uma ação. Dessa forma, temos que sempre procurar melhorar de alguma forma”, concluiu.

Beneficiários

Atualmente cerca 16,2% da população maranhense recebe algum tipo de benefício do INSS. Em números absolutos são 1.109.869 beneficiários que custam mais de R$ 20 bilhões aos cofres da União por ano.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: