fbpx

Maranhão tem o etanol mais caro do Nordeste

A gasolina e o etanol apresentaram, em novembro, as menores variações de aumento de preço, com 6,94% e 1,58% de alta respectivamente na Região Nordeste.

O etanol comercializado na região também foi o mais barato do Brasil, com preço médio de R$5,652. O estado da Paraíba se destacou com o etanol mais barato do país, com valor médio de R$5,154.

Já o Maranhão, com o etanol mais caro do Brasil com o valor médio de R$5,874, representando 4,89% a mais do que o registrado em outubro passado, que foi de R$5,600. O levantamento é do Índice de Preços Ticket Log (IPTL).

Nenhum estado nordestino apresentou baixa no preço da gasolina e apenas dois tiveram redução no valor do etanol – sendo o Sergipe com baixa de 1,19%, passando de R$ 5,815 para R$5,746; e o Rio Grande do Norte com 0,07%, passando de R$5,802 para a média de R$ 5,798.

O Maranhão fica em quinto no preço da gasolina na região Nordeste, com média de R$6,834, com uma variação de 5,94% em relação ao preço cobrado em outubro. Nos postos da capital, a gasolina mais barata pode ser encontrada por R$6,39 e a mais alta por R$ 6,90.

Quando analisado o comportamento de preços do diesel, a Região Nordeste não apresentou redução e o valor do comum e do tipo S-10 registraram altas acima de 7%, chegando a R$ 5,668 e R$5,726, ante R$ 5,265 e 5,341 de outubro, respectivamente.

O IPTL aponta ainda que, apesar da baixa no valor do etanol, o diesel mais caro da região continua sendo comercializado nos postos do Sergipe, com média de R$ 5,954 para o diesel comum e R$ 5,911 para o tipo S-10, um acréscimo médio de mais de 8%. Já o mais barato foi encontrado novamente em Pernambuco, com o diesel comum valendo R$5,565 e o diesel S-10 a R$ 5,530.

“Mesmo sendo a Região com as menores variações de aumento no preço da gasolina e do etanol, na maioria dos estados nordestinos o preço dos combustíveis continua sofrendo altas consecutivas, além de ser a terceira região com a gasolina mais cara do país. Ainda assim, de acordo com a relação 70/30, a gasolina segue sendo a opção mais vantajosa para abastecimento, de acordo com o levantamento da Ticket Log”, destaca Douglas Pina, Head e Mercado Urbano da Edenred Brasil.

Desde o início do ano, a Petrobras já promoveu pelo menos 13 reajustes no preço do diesel (com 10 altas e três reduções) e 15 no valor da gasolina (com 11 altas e quatro reduções). No ano, a gasolina subiu 73,4% nas refinarias. Já o diesel acumula alta de 65,3% no mesmo período.

O IPTL é um índice de preços de combustíveis levantado com base nos abastecimentos realizados nos 21 mil postos credenciados da Ticket Log, que tem grande confiabilidade, por causa da quantidade de veículos administrados pela marca: 1 milhão ao todo, com uma média de oito transações por segundo.

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: