fbpx

Mestre ‘Mundoca’ é homenageado em muralV

Testemunha ocular das festas de bumba meu boi do Maranhão desde os 14 anos quando teve o primeiro contato com as brincadeiras nos arraiais e terreiros de São Bento, distante 360 km da capital, São Luís, Clemente Domingos Pinheiro, conhecido carinhosamente pelo apelido de Mestre ‘Mundoca’, era só emoção a receber a homenagem aos 81 anos ao ver seu rosto estampado pelo projeto ‘Murais da Memória’, Idealizado pelo tradicional Boi da Floresta, de Apolônio Melônio.

O cantador de toadas do Bumba meu Boi da Floresta de Apolônio Melônio, que arrastou multidões por quase 50 anos nos festejos juninos da capital e de cidades no interior do Maranhão teve sua imagem foi graffitada, no muro da sede do Sistema Mirante de Comunicação, A avenida Ana Jansen, no bairro São Francisco, em São Luís, ganha novo cartão postal.

Hoje, aos 81 anos, já cansado e com dificuldades para caminhar, Mestre ‘Mundoca’ ainda arranja forças para participar das brincadeiras do Boi, mesmo como espectador, de longe: “Todos os anos, eu faço questão de participar das brincadeiras. O Boi da Floresta faz parte da minha vida. Estou muito feliz com essa homenagem. E que bom que ainda estou vivo pra ver isso acontecer”, fala o mestre.

Mestre ‘Mundoca’ nasceu em 11 de novembro de 1939, em São Bento Novo do Maranhão, onde, aos 14 anos, de Bumba meu Boi. Chegou em São Luís aos 17 anos, época em que começou a trabalhar no porto; e, aos 33 anos, começou a brincar no Boi da Floresta, ao lado de Apolônio Melônio (fundador do Boi).

O primeiro mural construído pelo Projeto “Amo, Poeta e Cantador: Murais da Memória pelo Maranhão” foi em homenagem ao mestre Leonardo, do Boi da Liberdade, graffitado entre 19 e 23 de abril, no Centro de Saúde do bairro da Liberdade (São Luís/MA); e o segundo, em homenagem a Francisco Naiva, do Boi de Axixá, foi feito entre os dias 24 e 27 de maio, na referida cidade. O terceiro, de mestre Mundoca, foi graffitado entre 17 e 19 de junho.

O projeto vai construir, ao todo, neste ano de 2021, 10 murais que vai  homenagear cantadores, amos e poetas maranhenses, que detêm o saber sobre a festa, ilustrando os seus rostos em lugares públicos. Faltam ainda dois em São Luís e outros cinco em Cururupu, Barreirinhas, Guimarães, Viana e São José de Ribamar.

O “Amo, Poeta e Cantador” é uma realização do Bumba meu Boi da Floresta e do Artista Gil Leros, com o apoio do BNDES), da Benfeitoria e do SITAWI. Paralelamente à confecção dos murais, imagens estão sendo captadas para a produção de um documentário, que vai contar a história, tradição, trajetória e sotaques, e falar também sobre as grandes personalidades do Bumba meu Boi do Maranhão.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: