Morte de meninas maranhenses no Chile causa comoção em Bacabal

Muito abalados, as famílias das duas meninas ainda tentam assimilar a morte das crianças. O tio de Khálida, Rachid Trabusli, disse que a ficha ainda não caiu para a família, que ainda não tem condições de dar mais declarações sobre o assunto.

A pessoa que sai para passear, para se divertir, vai o pai, a mãe e ela está gestante e de repente, acontece essa tragédia que até agora não caiu a ficha para todos. E não vai cair assim
— Rachid Trabulsi, tio de Khálida Trabusli Lisboa

A Prefeitura de Bacabal emitiu uma nota de pesar por conta da morte das crianças. A nota assinada pelo prefeito Edvan Brandão Farias, demonstra solidariedade as famílias e direciona as orações as famílias.

“Cumpre a mim, com tristeza, emitir em nome do povo bacabalense esta nota de pesar rogando à Deus para que permita aos familiares e amigos a força necessária para enfrentar esse momento de dor. Em nome dos bacabalenses, envio meu abraço e direciono as orações pedindo a Deus que possam confortar as famílias”, disse o prefeito.

As duas meninas eram de famílias muito conhecidas da nona maior cidade do Maranhão, que possui mais de 100 mil habitantes. Khálida Trabusli Lisboa era neta da atual vice-prefeita de Bacabal, Graciete Trabulsi Lisboa e do médico Raimundo Nonato Lisboa, que também é político.

Já Isadora Pereira Bringel, era filha de um casal de médicos Marcelo e Slávya Bringel, que é dermatologista e faz parte do quadro de funcionários da Secretaria Municipal de Saúde de Bacabal. Ambos também são de famílias tradicionais e muito conhecidas do município.

Nesta quarta (5), a mãe de Khálida, Lenne Carvalho Lisboa, lamentou a tragédia por meio de uma postagem em uma rede social. Abalada, a mãe da menina de três anos escreveu: “Hoje eu não ouvi você dizer que me ama. Eu te amo, minha boneca”.

Ao G1, o tio de Khálida, Luís Trabulsi informou que a família viajou nesta quarta (5) para ajudar na liberação dos corpos. A família de Isadora informou que ninguém deve ir ao país e que os trâmites legais devem estão sendo resolvidos do Maranhão. A previsão é que os corpos cheguem ao estado até o fim da semana e os velórios e enterros devem ser realizados em São Luís.

Do G1

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: