fbpx

Maranhão Política

NOVO vai disputar prefeitura de São Luís e em 19 municípios

Com lideranças em mais de 40 cidades no estado do Maranhão, o partido NOVO se prepara para concorrer às eleições municipais para vereador, prefeitos e vice-prefeitos, em 2024. Em entrevista à O Imparcial, o presidente estadual da legenda, Leonardo Arruda, revelou que será possível disputar eleição em pelo menos 50 municípios, sendo proporcionais e majoritárias em alguns, e em outros, apenas majoritária.

“Hoje temos pré-candidaturas majoritárias que vão disputar o cargo de prefeito em 20 municípios do nosso esta do, dentre elas, a nossa capital. Temos um objetivo de colocar em cada um desses municípios um candidato nosso para poder entrar no debate político. Queremos ter uma candidatura própria pela primeira vez em São Luís, assim como nas demais cidades onde vamos disputar as majoritárias. E todos esses candidatos terão a nossa atenção”, afirmou Leonardo Arruda.

Segundo o presidente estadual da legenda, o NOVO é um dos partidos mais desafiadores do Brasil para você estar nele, ser candidato por ele e consequentemente governar por ele. Leonardo Arruda explicou que desde a sua fundação, o partido sempre conseguiu criar normas bem firmes para extrair o que há de melhor na sociedade para trazer para o debate político, principalmente na hora de prestar o exercício da gestão pública municipal, estadual ou federal, tanto no âmbito proporcional quanto majoritário. Ainda na avaliação de Leonardo Arruda, o NOVO sempre foi tido como aquele partido utópico.

“Imagina um partido que foi funda do só por pessoas comuns, e que conseguiu o registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e que participou de boa parte de suas eleições lançando candidatos ‘marinheiros de primeira viagem’. A gente sempre evita os conchavos tradicionais da política, o ‘toma lá, dá cá!’, aquelas campanhas milionárias onde o candidato pega dinheiro com agiota, vende a alma para o diabo para de pois governar e fica ali preso ao exercício municipal. Dito isso, diante de todas as dificuldades existe um cenário bastante promissor”, pontuou Leonardo Arruda.

Arruda afirmou também que as eleições de 2020 foi um verdadeiro aprendizado para todos do NOVO. Desde os filiados, os candidatos, assim como para os presidentes estadual e municipal do partido que estavam pela primeira vez aventurando-se no universo da política.

De acordo com ele, a ideia naquela época, era de limitar espaço, pois tinha-se a convicção de que não ganhariam a eleição, mas era importante colocar o NOVO como uma alternativa para São Luís. Arruda acrescentou, que o movimento feito pelo partido foi bastante positivo para atrair mais pessoas para a legenda que ainda era desconhecida de muitos, e que a partir desta eleição conseguiu ter mais visibilidade.

Processo seletivo para ser candidato pela legenda

Já sobre as eleições de 2024, após um lapso de quatro anos nessa caminhada de sedimentação da imagem e dos ideais do NOVO no estado, Leonardo Arruda, destacou que houve um amadurecimento político. E que nessa trajetória, a legenda aprendeu a dialogar com outros atores e figuras políticas do Maranhão, coisa que em outr0ra o partido tinha dificuldade de fazer.

“Agora para 2024, a nossa estratégia é abrir mais esse funil que era muito restrito, fechado. Nós hoje conseguimos recepcionar dentro da legenda, por exemplo, o Lahésio Bonfim que ficou em segundo lugar na disputa ao governo do Maranhão nas eleições de 2022. Temos dialogado com outras forças políticas aqui do estado. Recentemente promovemos um evento volta do para os empreendedores e empresários para de bater os desafios para o desenvolvimento econômico do Maranhão. E lá esteve presente, Roberto Rocha, que era senador na última legislatura. Não que ele esteja filiado no NOVO ou dialogando para vir, mas nós enquanto partido político passamos a dialogar com a classe política”, ressaltou Arruda.

Ainda para as eleições de 2024, Leonardo Arruda, enfatizou que a ‘pegada será mais arrojada’. “Hoje temos a profissionalização do diretório estadual, temos pessoas dedicadas integramente, coisa que não tinha antes em 2020, e temos um grau de pragmatismo. Ainda somos um par ti do ideológico, mas um partido ideológico que entende que se não formos pragmáticos, se não entendermos essa política que existe nós vamos naufragar”, acrescentou ele.

Duas perguntas para Leonardo Arruda

No último encontro que o NOVO promoveu entre seus filiados, você afirmou que o partido fará um processo seletivo para representar a legenda nas urnas de 2024. De que forma se dará este processo?

Nosso processo seletivo avalia 39 instâncias judiciais, entre elas, se a pessoa tem mandado de prisão, se a pessoa responde a processo envolvendo a administração pública, processos relacionados a parte criminal no âmbito geral. E se a pessoa conseguiu passar nessa parte ética e moral, vem a parte de conhecimento onde o candidato vai preencher seus dados na plataforma e responder um questionário. E se tiver abaixo daquilo que esperamos, vai participar de um curso de formação por meio de nossa fundação.

Quando a gente fala de um processo de seleção não é excluir as pessoas, mas blindar a instituição de oportunistas e de pessoas que querem se valer da marca do NO VO e também extrair os candidatos mais prepara dos para pleitear aquela eleição. Preparados em conhecimentos. É claro que a gente não é ingênuo à ponto de desconsiderar que o fenômeno voto tem peso no resultado eleitoral, mas a gente tenta sempre colocar em pé de igualdade os requisitos de nosso processo. Pretendemos manter até o fim a nossa coerência de discurso. Dialogamos com todas as forças políticas, desde que elas desejem a submeter a esse processo. E tem muita gente querendo se submeter a esse crivo.

O próprio Lahésio foi um caso. Nós temos hoje 12 vereadores de mandato em 11 cidades para vir para a legenda. Nós temos prefeitos de mandato querendo vir para o NO VO e todos sabem desses detalhes. Eu acredito que esteja havendo uma mudança de cultura. Está na hora de darmos passos mais largos na política.

E como está a relação do NOVO com o governo do Maranhão?

Nós somos o único par ti do que eu posso afirmar que de fato é oposição aqui no estado ao governador Carlos Brandão. O PL de Josimar de Maranhãozinho que é de esquerda aqui no Maranhão, vota com o Lula e toda a base de deputa dos federais, que a base de deputa dos estaduais está votando com Brandão não tem nada de direita aqui no nosso estado. Então, o único partido que a gente pode dar um tapa na mesa e dizer que hoje é oposição no Maranhão é o NOVO.

Não temos nenhum mandatário, mas está usando de ações judiciais onde encontramos um instrumento para poder tentar cobrar e fazer o que é certo. Recentemente foi criado o imposto do Agro que taxa 1,5% a tonelada do grão produzido e transportado em solo maranhense. Uma lei completamente inconstitucional. Uma taxa que foi criada com aspectos de ICMS. Isso é inconstitucional. O NOVO no Maranhão, assim como em Mato Grosso e Goiás ingressou judicialmente contra o governo e a ação está no Supremo Tribunal Federal (STF). A gente acredita muito que em breve vai sair uma liminar favorável derrubando essa taxa. Por isso, estamos querendo oferecer uma alternativa que traga conhecimento em relação aos problemas do estado e muito acima dos problemas, que traga soluções.

Advertisements

Deixe uma resposta