Codó entra em alerta para riscos de enchentes após início de chuvas

O município de Codó, a 290 km de São Luís, entrou em alerta para os riscos de enchentes após o início do período chuvoso nos últimos dias na região. Tudo isso porque o Rio Itapecuru, que corta Codó, já atingiu o nível de inundação por conta das cheias, segundo a Defesa Civil da cidade.

De acordo com os técnicos da Defesa Civil, na área em que passa por dentro de Codó, o nível aceitável da água do Rio Itapecuru é de até 6 metros e 80 centímetros, mas os técnicos já constataram que o nível já ultrapassou os 7 metros, colocando muitas famílias em estado de risco de alagamento, principalmente nas áreas situadas no bairro Santo Antônio.

Já são várias famílias dentro deste estado de alerta, mas neste primeiro momento o Corpo de Bombeiros e Defesa Civil já catalogaram 12 residências cujas as famílias devem sair o quanto antes a fim de evitar possíveis acidentes.

Durante a visita feita pelas equipes do Corpo de Bombeiros e Defesa Civil, os técnicos dos respectivos órgãos constataram que há risco de alagamento nas ruas Prainha, Copacabana e Draga, no bairro Santo Antônio.

O comandante do Corpo de Bombeiros, capitão Wilson Gusmão, diz que as pessoas que estão morando nas áreas consideradas de risco já foram cadastradas e estão sendo conscientizadas a deixar os locais onde moram. “Pessoas carentes que estão nestas áreas vulneráveis já foram conscientizadas e nós já pegamos o nome, profissão, idade, fizemos o recenseamento e atualização de dados”.

O comandante da Defesa Civil, José Fernandes, revelou que o prédio de uma colônia de pescadores que fica no bairro Santo Antônio será usado para abrigar pessoas que precisarem sair emergencialmente. Ele acrescentou que os desabrigados serão levados para escolas e ginásios que a prefeitura vai providenciar.

“Vamos traçar metas de logística, como a questão dos caminhões para fazer a remoção desse pessoal, haja a necessidade e também elencar apoios como do tiro de guerra do Município. Essa questão do apoio logístico, como os pertences dos atingidos, a gente vai traçar um plano de contingência para salvaguardar a população nesse momento de cheia do rio”, finalizou o comandante José Fernandes.

Do G1/Ma

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: