fbpx

Tutóia

Operação Mustache: PF faz buscas em Tutóia para apurar desvios de recursos públicos na gestão Diringa e Romildo 

Nesta quarta-feira (13), uma operação da Polícia Federal foi desencadeada em diversas cidades dos estados do Maranhão e Piauí, incluindo Tutoia, Paço do Lumiar, São Bernardo do MA, Magalhães de Almeida e outras localidades. Denominada de ‘Operação Mustache’, a ação teve como alvo principal combater o desvio de recursos públicos federais destinados aos setores de Saúde e Educação, especialmente na gestão de Diringa Baquil e do ex-prefeito Romildo.

Uma das práticas investigadas consiste no uso de um endereço vinculado a uma barbearia em Teresina (PI) para fraudar licitações. As autoridades constataram indícios de irregularidades na atuação da empresa VE Rocha Ferreira em processos licitatórios em múltiplos municípios nos estados mencionados. Há suspeitas de que o titular registrado em programas sociais do governo não seja o real proprietário da empresa, sendo que sua esposa teria recebido Auxílio Emergencial durante a pandemia. O verdadeiro operador da firma seria um servidor público da Assembleia Legislativa do Piauí. O local onde a empresa deveria estar estabelecida, na verdade, abriga uma barbearia, originando o nome dado à operação.

A empresa VE Rocha Ferreira teria atuado em conjunto com as empresas Mauricio e Luana Ltda. e Nogueira Alencar Ltda., participando simultaneamente de licitações em diversos municípios, levantando suspeitas sobre a lisura desses processos.

As investigações foram iniciadas com base em denúncias da Controladoria-Geral da União, que identificou essas possíveis irregularidades, alertando as autoridades para a necessidade de apuração detalhada dos fatos.

Diante desses acontecimentos, a operação da Polícia Federal destaca a importância de aprofundar investigações e tomar medidas rigorosas para combater desvios de recursos públicos, especialmente em áreas sensíveis como Saúde e Educação. É fundamental garantir a transparência e a correta aplicação dos recursos destinados ao bem-estar da população, punindo aqueles que se aproveitam de suas posições para benefício próprio, em detrimento do interesse público. 

As autoridades responsáveis pela operação devem seguir com os desdobramentos das investigações, visando à responsabilização dos envolvidos e à adoção de medidas que fortaleçam a integridade na gestão dos recursos públicos em todos os níveis administrativos.

As investigações se estenderam de 2020 até o presente momento.

Advertisements

Deixe uma resposta