PM acusado de matar médico em Imperatriz é expulso da corporação

O Conselho de Disciplina da Polícia Militar do Maranhão julgou procedente as acusações contra o policial Adonias Sadda e decidiu pela expulsão do militar da corporação. Adonias é acusado de assassinar o médico Bruno Calaça, com um tiro à queima-roupa, em uma boate de Imperatriz, crime ocorrido em julho deste ano.

Conforme publicado no boletim geral nº 218 de 23 de novembro, tornado público nesta terça-feira (30), Adonias foi expulso por ter tido conduta que afetou a honra pessoal, o decoro da classe e por contrariar o artigo 40 da Lei n.6513/1995 e o Estatuto dos Policiais Militares, que trata das obrigações e deveres dos PMs.

Agora ex-PM, Adonias segue preso em São Luís e aguarda julgamento.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: