fbpx

Destaque

Polícia de SP indicia 6 por sequestro de Marcelinho Carioca

Nesta terça-feira (19), a Polícia Civil de São Paulo indiciou seis pessoas por sequestro, extorsão, formação de quadrilha, roubo, lavagem de dinheiro e receptação tendo como vítimas o ex-jogador de futebol Marcelinho Carioca e uma amiga dele.

Marcelinho Carioca e a amiga foram sequestrados no domingo (17) e libertados pela Polícia Militar (PM) na segunda-feira (18). Eles estavam num cativeiro em Itaquaquecetuba, na Grande São Paulo.

4 pessoas indiciadas foram presas pelos crimes: dois homens e duas mulheres. Outro homem e mais uma mulher ainda são procurados.

A Divisão Antissequestro (DAS) de São Paulo, que investiga o caso, pediu à Justiça a prisão preventiva dos seis envolvidos no crime.

Os 4 que já foram detidos passaram por audiência de custódia nesta terça-feira (19) e tiveram a prisão em flagrante convertida em preventiva.

Ao todo, 10 pessoas participaram da ação criminosa contra o ex-jogador e a amiga, de acordo com o delegado Fábio Nelson Fernandes, diretor da DAS.

Segundo ele, a quadrilha não planejou o sequestro de Marcelinho Carioca e da amiga. Segundo a investigação, o crime ocorreu por acaso, quando criminosos viram o carro de luxo do ídolo do Corinthians.

“O sequestro foi ocasional. O crime não foi planejado”, afirmou Nelson Fernandes nesta terça-feira.

Segundo a investigação, Marcelinho Carioca tinha ido a um show no estádio do Corinthians, em Itaquera, Zona Leste da capital, no domingo.

Ao sair de lá, ele seguiu para Itaquaquecetuba para levar ingressos do evento para a amiga. Chegando ao local, ele contou que os dois foram abordados por homens armados.

“O automóvel chamou a atenção dos bandidos, que avaliaram que o dono dele teria dinheiro para extorquirem. Por isso o sequestraram. Como estava com a amiga, ela foi levada junto”, afirmou o delegado.

“Na hora, nem sabiam que se tratava de Marcelinho Carioca. Os dois foram agredidos quando foram abordados, além de terem sido ameaçados constantemente”, continuou.

Os pedidos de pagamento de resgate para libertar o ex-jogador foram feitos pelos criminosos no domingo e na segunda, segundo a investigação. Um amigo chegou a transferir dinheiro para os bandidos.

O veículo de Marcelinho foi encontrado pela Polícia Militar (PM) abandonado em Itaquaquecetuba.

No mesmo dia, bandidos obrigaram o ex-jogador a gravar um vídeo ao lado da amiga.

Na gravação, os dois dizem que foram sequestrados porque eram amantes e que ela era casada, dando a entender que o mandante do crime foi o marido da mulher.

Em seus depoimentos à DAS, ambos negaram ter um relacionamento amoroso e disseram ser apenas amigos.

Denúncias anônimas levaram a PM até o local do cativeiro, também em Itaquaquecetuba.

Os policiais encontraram Marcelinho e a amiga numa casa em que estava uma outra mulher, que foi presa por tomar conta do cativeiro.

Marcelinho Carioca chegou a falar com a imprensa na segunda, após ter sido libertado, e também postou um vídeo nesta terça em uma rede social.

Na gravação, o ex-jogador aparece ao lado da família e comenta sobre seu retorno para casa.

“Bem, gente… que bom estar de volta em casa, do lado de pessoas que realmente a gente ama. Toda a minha família aqui me esperando, torcendo por mim”, diz Marcelinho na gravação postada na madrugada em suas redes sociais. “Não só eu estou feliz, mas muita gente que torce por mim”.

Advertisements

Deixe uma resposta