Política: Wellignton do Curso entre a cruz e a espada

Apesar de ser um dos três pré-candidatos à Prefeitura de São Luís que conseguiu alcançar dois dígitos, o deputado estadual Wellignton do Curso (PSDB) está em uma situação delicada para a disputa das eleições de 2020.

O PSDB, comandado no Maranhão pelo senador Roberto Rocha, não descarta, até para assegurar uma derrota do grupo político comandado pelo governador Flávio Dino (PCdoB), uma aliança com o PODEMOS, do deputado federal e líder disparado nas pesquisas eleitorais, Eduardo Braide.

A aliança inviabilizaria a intenção de Wellignton em disputar as eleições de 2020 pelo PSDB e pode complicar muito a sua participação no pleito eleitoral, até mesmo por outras legendas.

É que neste ano, apenas os vereadores terão uma “janela” para mudar de legenda, o que não acontecerá com outros políticos, como no caso dos deputados estaduais.

Caso Wellignton decida deixar o PSDB e disputar o pleito eleitoral em 2020 por outra legenda, tanto o partido, como o primeiro suplente, podem requisitar o seu mandato na Justiça Eleitoral.

Vale destacar que o primeiro suplente é Guilherme Paz, filho de Clodomir Paz, uma das cabeças pensantes no grupo do senador Roberto Rocha.

O prazo final para a filiação partidária para as eleições deste ano é 03 de abril, ou seja, teria pouco tempo e seria ariscado para Wellington levar o assunto para o Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão.

Sendo assim, o caminho para Wellington é mostrar ao PSDB, quem sabe até para a cúpula nacional, que sua pré-candidatura é realmente viável, pois do contrário, é adiar o sonho de disputar novamente à Prefeitura de São Luís.

Por Blog Jorge Aragão

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: