Professores iniciam paralisação de 48 horas e ocupam prefeitura de Barreirinhas

Na manhã desta quarta-feira (20), os professores representados pelo SIMPROESEMMA, decretaram paralisação de 48 horas, e ocuparam a prefeitura de Barreirinhas em protesto ao não cumprimento daquilo que está estabelecido em lei, reajustes, promoção, progressão e jornada de trabalho.

Em cheque está o reajuste salarial dos profissionais do ano de 2019 de 6, 81%, uma vez o reajuste de 2018 está sob judice, depois de muitas tentativas de diálogo mal-sucedido em fevereiro a categoria teve que entrar na justiça, pois durante um ano de embate gestão e professores não chegaram ao um acordo, então a única saída da categoria recorrer a justiça.

A data base de revisão salarial da categoria é abril e até a presente data não houve nenhum avanço nas negociações, a gestão ofereceu 5 %, porém referente ao dois anos, 2018 e 2019 na qual não foi aceito pelos profissionais, uma vez que o do ano passado está na justiça e aguarda veredito e portanto a luta agora é pelo reajuste de 2019.

Segundo a presidente do SIMPROESEMMA em Barreirinhas, não tem como aceitar tal acordo com as imposições nefastas que vem junto, como o aumento da jornada de trabalho de 15 horas aulas sendo que a lei federal remete apenas 13 horas, como o estado do Maranhão trabalha, ainda disse que somente em Barreirinhas a gestão quer ser diferente. “Não aceitamos” disse Leonilde Chaves.

Sempre estamos com a mesa aberta para o diálogo, agora a gestão na quer saber de nos receber, sempre tentando nos manipular, solta notas infundadas nas redes sociais que nos não somos culpados da educação ta assim, até onde sei, nós professores não contratamos não, isso é papel do prefeito, quando é eles que nunca respondem nossa solicitacões , por isso estamos aqui, amparados pela lei que nos permite parar em advertência de quarenta e oito horas. Afirmou Leonilde

VEJA

https://www.youtube.com/watch?v=C_Yeeo9FMEI&t=13s

Os professores saíram da sede do sindicato em direção ao fórum da cidade onde após tentativa de serem recebidos pelo juiz, não obtiveram resultado, logo após os professores seguiram para a câmara de vereadores, onde foram recebidos pelo presidente da casa, Vereador Carlos Dutra que garantiu total apoio aos mesmos e afirmou que colocará em pauta todos os requerimentos e projetos que beneficiam os professores.

Após isso seguiram para prefeitura onde alguns discursaram e bem enfáticos gritaram palavras de ondem como “respeito” queremos nosso direito.

O professor Ribinha, que leciona no povoado Braço, disse a nossa equipe que a instituição está em total defasagem, não ter auxiliares em contra-turno, gestores indo as salas de aulas, algo ilegal, afirmou ainda que falta diálogo por parte da gestão e respeito.

VEJA

A paralisação segue até amanhã, e também terá ocupações na Secretaria de Educação e Câmara de Vereadores.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: