fbpx

Relembre 3 crimes que chocaram o Maranhão

Vez ou outra somos surpreendidos por crimes que vão além das narrativas que encontramos nos jornais cotidianos, e que chocam pelos seus detalhes. Crimes bárbaros que ocupam noticiários, que depois somem da mídia mas não desaparecem da mente do povo.

Pensando nisso, escolhemos três crimes que choraram o Maranhão e o país inteiro. Relembrando não só os detalhes dos crimes como também os julgamentos.

Chacina em Panaquatira

Em maio de 2015, um grupo de amigos fazia uma festa em uma casa na praia de Panaquatira, praia localizada em São José de Ribamar, quando o local foi invadido por seis homens armados. Na época, cinco pessoas morreram e três ficaram feridas.

Foto: Divulgação SSP/MA

O soldado Max Muller Rodrigues de Carvallho, de 27 anos, 6º Batalhão da Polícia Militar (BPM), reagiu e trocou tiros com os invasores. Além do policial, o promotor de eventos Alexsandro Vieira de Carvalho, 36, a estudante Ananda Brasil Meireles, 21, e dois assaltantes morreram no tiroteio.

Um dia após o ocorrido, um adolescente de 17 anos foi apreendido quando estava no velório de um dos assaltantes mortos no conflito. Na ocasião ele confessou a participação no crime e entrou à polícia o nome dos outros criminosos que participaram da ação.

Em fevereiro de 2019, a Justiça do Maranhão condenou dois homens e uma mulher pelo crime ocorrido na praia de Panaquatira. Cleonilson de Sousa Almeida (Bode) foi condenado a 264 anos, três meses e 24 dias de prisão, Elenilton Coelho dos Santos (Sansinho) foi condenado a 263 anos, dois meses e nove dias de prisão e Joseane Aires da Costa foi condenada a 28 anos, um mês e 15 dias de prisão.

 

“Monstro de Pinheiro”

O crime conhecido como “Monstro de Pinheiro”, foi preso em 2010, quando confessou os crimes de cárcere privado e estupro de vulnerável. Além desses, também respondeu pelos crimes de: abandono material, abandono intelectual, maus-tratos, pelas condições em que se encontravam a jovem e as crianças.

Foto: Reprodução

Segundo a investigação, ele teria começado abusar da filha quando ela tinha 12 anos e desde então eles viviam maritalmente em um povoado da cidade de Pinheiro. José Agostinho Bispo tem sete filhos com a própria filha.

O pescador foi preso em flagrante em junho 2010, na época, foi descoberto que a filha-neta de 8 anos já estava sendo abusada pelo pai-avô. Um ano após prisão Agostinho Bispo foi morto durante uma rebelião.

 

Assassinato de Bacabeira

Em agosto de 2017, os corpos de uma criança e um adolescente foram encontrados em uma cova rasa em Campo de Peris, na cidade de Bacabeira (MA). As vítimas eram moradoras da Vila Samara, zona rural de São Luís.

Segundo informações, dois adolescentes conseguiram fugir do ataque e foram encontrados por moradores da região caídos e gravemente feridos. A polícia chegou até os corpos dos meninos, após prender os suspeitos de praticarem o ataque.

Foto: Reprodução

Segundo os autores do crime, o motivo para os homicídios foi porque eles já estavam cansados de observar furtos de porcos nas proximidades onde o homicídio aconteceu.

Antônio Coelho Machado, Josean Serra Rego e Cleferson de Jesus Machado Vilaça, foram julgados em novembro de 2011 pelo crime de homicídio contra uma criança de 11 anos e um adolescente 12 anos, além da tentativa de homicídio contra outros dois jovens.

 

Acompanhe essas e outras notícias em Imaranhao.com

 Siga, também o Imaranhao no Twitter, Instagram

Curta nossa página no Facebook

Inscreva-se no nosso canal no Youtube

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: