Repórter Romarinho é alvo de ameaças por parte do prefeito de Bacabal, Edvan Brandão

Mais uma vez o repórter Romário Alves de Bacabal no Maranhão é alvo de intimidação, dessa vez o profissional que é um dos mais conhecidos no estado foi alvo de ameaças de mortes, como relatou em um vídeo nas suas redes sociais.

Nas imagens é possível ver a hora em que o atual prefeito Edvan Brandao, eleito em 2020 pelo PDT manda seus seguranças retirar o repórter da área onde acontecia um evento do Governo do Estado.

Bem exaltado um dos seguranças, diz a Romário para o mesmo ir embora, pois, ele não estava pedindo, estava mandando.

Outro caso

Em meados de abril do corrente ano, Romarinho como é conhecido já tinha sido intimidado e teve seu programa retirado do ar, “Bandeira 2”, após tecer criticas a alguns políticos da região.

Além do assédio moral, a perseguição estendeu-se ao fato que a população da cidade não iriam nem lembrar de Romarinho.

Em suas palavras no programa, Romarinho disse apenas que os políticos da região se unissem mais e parassem de brigas.

História na TV

Romarinho entrou na TV Difusora de Bacabal, desde o inicio, como ajudante de pedreiro na construção da sede da TV e desde então, cresceu, virou vigilante, depois porteiro, logo após caboman e quando faltava algum repórter, Romarinho fazia as externas e  pautas.

Logo ganhou espaço e lhe foi dado um programa, na área policial, lhe dando uma projeção incrível, sendo um dos mais vistos na região ao longo dos anos. Fazendo com que seu programa aumentasse de uma hora para duas.

Logo após ter seu programa tirado do ar, Romarinho começou realizar o programa em seu canal no YouTube na qual tem sido um dos mais vistos na plataforma e o número de escritos só aumentam.

Alguns políticos e profissionais emitiram nota de apoio a Romarinho e repudio ao prefeito Edvan Brandao.

“Lamento e repudio veementemente as ameaças sofridas pelo profissional de imprensa Romário Alves, o Romarinho, de Bacabal.
Romarinho e sua equipe de trabalho, sofreram ameaças durante a cobertura de um evento da prefeitura de Bacabal, por fazerem perguntas ao prefeito da cidade.
As informações precisam chegar até a população e o cidadão tem direito a tê-la. Intimidação, cerceamento ou censura no trabalho de comunicadores só reforçam a importância do trabalho desse profissional para o povo de Bacabal. Disse Expedito Júnior – segundo colocado nas últimas eleições.

O ex-vereador de Bacabal, Coronel Egídio também se pronunciou.

“Lamentamos e repudiamos a situação ocorrida de cerceamento da liberdade de imprensa contra o repórter Romário Alves. Fica claro o total despreparo do prefeito Edvan Brandão quanto aos questionamentos referentes a corrupção, desmando e fraude da gestão pública do nosso município, pois tem alguns fatos que não possuem respostas. Vivemos em um Estado Democrático de Direito e o repórter tem o papel primordial de informar a sociedade, e as pessoas tem o direito de ter acesso às informações”.

Em posicionamento, Romarinho disse que mesmo sob ameaças não irá se calar e que sempre estará em busca da verdade e representar o povo bacabalense.

O número de ataques à liberdade de imprensa no Brasil bateu recorde em 2020/21 algo que tem sido corriqueiro no Maranhão.

Foi o maior número de agressões contra a imprensa desde que a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) começou a fazer esse levantamento, há mais de 20 anos. O relatório mostra que “foram 428 casos de violência, mais do que o dobro (105,77%) que o já alarmante número de 208 ocorrências registradas em 2019”.

O ataque à credibilidade da imprensa, com discursos que buscavam desqualificar a informação jornalística, foi o registro mais frequente: mais de um terço do total.

A presidente da Fenaj, Maria José Braga, disse que os números mostram que o desrespeito sistemático ao trabalho dos jornalistas vem aumentando de forma preocupante:

“Nós classificamos como um atentado à liberdade de imprensa. Até porque todas essas tentativas de descredibilização da imprensa, felizmente, não têm tido resultado. Nós continuamos a fazer o nosso trabalho. Os jornalistas continuam fazendo o seu trabalho e garantindo o direito à informação jornalística para toda sociedade brasileira”.

Nem o PDT quanto o Prefeito Edvan se manifestaram sobre o ocorrido, reiteramos o espaço aos citados.

Nós do Imaranhão repudiamos de forma veemente atos que vão contra a liberdade de impressa e o direito a informação.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: