Rompimento da Bacia de Tratamento de Esgoto de Barreirinhas completa um ano, dejetos continuam sendo jogados na vegetação e rio

A Estação  de Tratamento de Esgoto da  Caema (ETE), em Barreirinhas tem sido alvo de várias reclamações desde o rompimento no ano de 2019, mas precisamente no mês de Abril.

Na época, uma parte da segunda bacia de tratamento de esgoto foi rompida, causando assim um impacto ambiental sem precedentes, o rompimento aconteceu na parede lateral,  após isso houve várias denúncias que os dejetos estariam se esvaindo pela vegetação e portanto atingindo o Rio preguiças.

Segundo a Caema, na época foi feito testes que atestaram que os dejetos não eram danosos a vegetação local, também foi informado que foi feito um reparo na lateral da bacia e água que estava indo pela vegetação até o Rio já era tratada.

A Estação  de Tratamento de Esgoto da  Caema (ETE) fica localizado entre os povoados São Domingos e Bosque,  o esgoto fica no terreno da Caema que contém 36 hectares, além disso não tem barreira de contenção de concreto apenas areia.

Um ano após,  ocorreu o rompimento nossa equipe foi até o local viu de perto que não somente o fato dos dejetos estarem sendo jogados para vegetação, como também um novo rompimento na lateral que não foi em nenhum momento feito reparo,  ainda se viu que os reparos foram feitos apenas com areia, algo que possibilita pessoas e animais circulem dentro da bacia de tratamento,  nossa equipe flagrou momento em que animais circulavam dentro da bacia.

Além do impacto ambiental que de longe já é um desastre sem fim, a várias residências no entorno das bacias,  chama atenção também o fato que essa segunda bacia tem várias outras ao lado, que apenas tem contenção de areia do que a qualquer momento pode romper por não ter  um suporte de concreto.

Aspectos promotores de impactos ambientais decorrentes da implantação de rede coletora de esgoto sanitário

O Esgotamento Sanitário é um sistema constituído por tubulações de vários diâmetros que tem como finalidade transportar o esgoto doméstico que é composto pela água servida dos vasos sanitários; banheiros; pias de cozinha; tanques e máquinas de lavar roupa até as Estações de Tratamento que são projetadas para receber e tratar, através de processos que removem a matéria orgânica, lançando o efluente isento de poluição nos rios formadores de bacias hidrográficas.

Os sistemas de esgotos sanitários apresentam principalmente os seguintes objetivos e finalidades:

Coletar os esgotos individualmente ou coletivamente;

Afastamento rápido e seguro dos esgotos (fossas sépticas ou redes coletoras);

Tratamento e disposição sanitária dos efluentes;

Eliminação da poluição do solo;

Conservação dos recursos hídricos;

Eliminação de focos de poluição e contaminação;

Redução na incidência das doenças relacionadas com a água contaminada.

Os sistemas de esgotos urbanos podem ser de três tipos: sistema unitário, sistema separador parcial e sistema separador absoluto. No sistema unitário, as águas residuárias, as águas de infiltração e as águas pluviais veiculam por um único sistema; no sistema separador absoluto, as águas residuárias e as águas de infiltração veiculam em sistema separado das águas pluviais; e no sistema separador parcial, as águas pluviais provenientes de telhados e pátios são encaminhadas juntamente com as águas residuárias e águas de infiltração para um único sistema de coleta e transporte de esgotos. No Brasil é adotado o sistema separador absoluto, de modo que as águas pluviais não deveriam chegar aos cole-tores de esgoto, mas na realidade sempre chegam, não somente devido a defeitos das instalações e também devido às ligações clandestinas

Estamos em contato com a Caema, para os devidos esclarecimentos.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: