São Paulo e Palmeiras empatam sem gols no primeiro jogo da semifinal do Paulistão

São Paulo e Palmeiras empataram por 0 a 0 no começo da noite deste sábado, no Morumbi, no primeiro clássico valendo vaga na final do Campeonato Paulista. Foi um bom jogo, com chances de lado a lado, bolas no travessão e pênalti cancelado para o Palmeiras após consulta ao VAR. A intensidade, porém, não se refletiu no placar, e as duas equipes vão a campo no domingo, dia 7 de abril, precisando de uma vitória simples para alcançar a decisão – contra Corinthians e Santos, que fazem a outra semifinal. Novo empate leva a disputa pela vaga aos pênaltis. Veja no vídeo abaixo os melhores momentos de São Paulo 0 x 0 Palmeiras.

São Paulo x Palmeiras

VAR em ação

Aos 37 minutos do primeiro, o árbitro Vinicius Furlan marcou pênalti de Reinaldo, do São Paulo, em cima de Dudu, do Palmeiras. Depois de escutar os árbitros de vídeo, porém, ele decidiu rever o lance no monitor. E anulou o pênalti aos 41 minutos. Na visão do comentarista de arbitragem Sandro Meira Ricci, realmente não foi pênalti, mas o árbitro não deveria ter revisto o lance, por ser uma decisão de interpretação. “Nesses lances, é importante a comunicação. Furlan foi chamado para revisar o lance, e para mim aí está o erro. Esse é o típico lance que não tem que chamar o árbitro. Apesar de achar que não foi pênalti, a decisão de campo tinha que ter prevalecido”, disse Ricci.

 

Tabu em jogo

As duas equipes voltam a se enfrentar às 16h do domingo, na Arena do Palmeiras. E o São Paulo tem um enorme tabu a enfrentar: foram sete clássicos no estádio, com sete vitórias palmeirenses. O time alviverde tem compromisso antes pela Libertadores. Na terça-feira, às 19h15, visita o San Lorenzo na Argentina.

São Paulo x Palmeiras - Gustavo Scarpa e Reinaldo

O primeiro tempo

Muita disputa, duas bolas no travessão, polêmica com o VAR, o São Paulo melhor em boa parte do período, o Palmeiras mais forte no fim. Foi bom o primeiro tempo no Morumbi. Veloz e bem distribuído, o time tricolor controlou o jogo nos 45 minutos iniciais, mas quase aconteceu de o Palmeiras ir para o vestiário com vantagem. Os alviverdes acertaram o travessão, em pancada de longe de Dudu, e tiveram um pênalti marcado – e depois anulado, com revisão pelo VAR –, de Reinaldo em Dudu. O São Paulo também acertou o travessão adversário: com Pablo, após cruzamento de Liziero e disputa pelo alto com Edu Dracena. Nos minutos finais do primeiro tempo, o Palmeiras se encontrou em campo e esboçou uma pressão sobre o rival, mas não alcançou o gol.

Pablo, São Paulo, Edu Dracena, Palmeiras

O segundo tempo

O São Paulo tentou, na largada do segundo tempo, repetir o ritmo da etapa anterior. E até chegou ao gol aos 7 minutos, com Arboleda (que entrou no intervalo no lugar de Anderson Martins, com lesão muscular). O lance, porém, foi anulado. A arbitragem percebeu falta de Bruno Alves em Marcos Rocha. Na sequência, o Palmeiras equilibrou a partida, que ficou mais presa ao meio-campo. As chances rarearam. Felipão mexeu nas duas laterais, e Vagner Mancini apostou em Everton. Depois, os treinadores tentaram crescer com dois meias, Lucas Lima e Nenê. Mas as mudanças não deram controle evidente a nenhuma das equipes, e o jogo se encaminhou para o fim com o 0 a 0.

 

E veio o Pato

O clássico começou ao longo da semana, fora de campo, com a disputa entre São Paulo e Palmeiras por Alexandre Pato. O clube alviverde esteve muito perto de contratá-lo, mas o Tricolor acabou ganhando a disputa, e Pato, cheio de declarações de amor, foi apresentado na sexta-feira. Um dia depois, acompanhou os novos colegas no jogo, foi ao gramado antes de a bola rolar e recebeu o carinho da torcida.

Alexandre Pato no São Paulo

E vem Cuca

Este foi o último jogo de Vagner Mancini no comando interino do time do São Paulo. Na terça-feira, Cuca assume como técnico tricolor, e Mancini volta para a função de coordenador de futebol. Ele treinou a equipe em nove partidas, com três vitórias, quatro empates e duas derrotas.

Luiz Felipe Scolari, técnico do Palmeiras, cumprimenta Vagner Mancini, técnico do São Paulo

Calma, galera

Com 40 segundos de jogo, os atletas já se estranharam no gramado do Morumbi. Bruno Alves subiu para disputar bola de cabeça com Deyverson e, com o braço aberto, acertou o atacante rival, que despencou no campo. Felipe Melo foi tirar satisfações, e os jogadores ficaram reclamando entre eles. Mas depois o jogo seguiu sem atropelos. Do Ge

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: