fbpx

Giro

Sede do Sampaio Corrêa volta a ser alvo de protestos de torcedores após rebaixamento

SÃO LUÍS – A torcida do Sampaio Corrêa protestou mais uma vez contra o rebaixamento da equipe no Campeonato Brasileiro Série B. Depois de uma manifestação voltada ao elenco, com direito a queima de um bandeirão do atacante Pimentinha, os dirigentes da Bolívia Querida, especialmente o presidente Sergio Frota, foram alvos das reclamações dos torcedores tricolores na noite desta terça-feira (28), no Centro de Treinamento José Carlos Macieira, sede do clube.

Torcedores do Sampaio Corrêa fazem protesto na sede do clube.

Inconformados com a queda do Sampaio Corrêa para a Série C, ocorrida no último fim de semana, torcedores do Sampaio Corrêa estenderam faixas com os dizeres “Diretoria medíocre” e “Fora ditador” nos muros do CT José Carlos Macieira. Um boneco, representando Sergio Frota, foi queimado pelos manifestantes em frente à sede da Bolívia Querida.

 

Depois do rebaixamento na Série B, o Sampaio Corrêa projeta a disputa da temporada de 2024, quando terá quatro competições pela frente. Além de voltar a jogar a Série C após cinco anos, a Bolívia Querida terá compromissos pela Pré-Copa do Nordeste, pela Copa do Brasil e pelo Campeonato Maranhense.

O primeiro jogo oficial do Sampaio Corrêa em 2024 será no dia 7 de janeiro, diante do Potiguar de Mossoró-RN, no Estádio Castelão, pela primeira fase da Pré-Copa do Nordeste. A estreia do Tubarão no Campeonato Maranhense, por sua vez, ocorre no dia 10 de janeiro, às 20h15, contra o Cordino, em São Luís.(IMIRANTE).

 

Advertisements

Deixe uma resposta