Serviço de inteligência venezuelano prende chefe de gabinete de Guaidó

Segundo relatos, agentes estavam munidos de dois rifles e uma granada durante a ação e chegaram à residência em dez veículos

Caracas — O líder opositor e autoproclamado presidente interino da VenezuelaJuan Guaidó, disse nesta quinta-feira, 21, em sua conta no Twitter que agentes do Sebin (Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional) invadiram a casa de seu chefe de gabinete, Roberto Marrero, e do deputado opositor Sergio Vergara, vizinho de Marrero, durante a madrugada.

Juan Guaidó

@jguaido

Pueblo de Venezuela y Comunidad Internacional:
Desde las 2:24 am funcionarios del SEBIN asedian las casas del Diputado y jefe de fracción de VP Sergio Vergara y el Jefe de mi Despacho, abogado Roberto Marrero.
En estos momentos los mantienen secuestrados en el sitio.

Juan Guaidó

@jguaido

Secuestraron a @ROBERTOMARRERO, jefe de mi despacho. El denunció a viva voz que le sembraron dos fusiles y una granada, se lo dijo al diputado @SergioVergaraG, su vecino. El procedimiento comenzó a las 2 am aprox. Desconocemos su paradero. Debe ser liberado de inmediato.

Vergara confirmou a informação e disse que Marrero foi preso pelo serviço de inteligência do país. Os agentes estavam munidos de dois rifles e uma granada durante a ação e chegaram às residências em dez veículos. Ele também afirmou que mais de 40 funcionários do Sebin entraram nas casas e ficaram no local por mais de três horas. Segundo os opositores, os policiais derrubaram portas para entrar nas casas.

“Infelizmente chegaram a mim. Sigam lutando. Não parem. Cuidem do presidente”, disse Marrero em uma gravação telefônica antes de ser detido. Vergara denunciou ante a comunidade internacional que o regime chavista violou sua imunidade parlamentar.

Vergara pediu a Michelle Bachelet, alta comissária da ONU para os Direitos Humanos, que exija a libertação de Marrero, “sequestrado pelo Sebin”, segundo ele.

Em nome do governo da Colômbia, o chanceler Carlos Holmes Trujillo criticou a ação contra os opositores e pediu à comunidade internacional que exija respeito à liberdade, à vida e à integridade dos opositores venezuelanos.

Marrero e Vergara acompanharam Guaidó na viagem que o líder opositor fez pela América Latina para obter apoio em seus esforços para tirar o presidente Nicolás Maduro do poder. (Com agências internacionais).

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: