Suspeito depõe à polícia sobre morte do pastor José Antônio Saraiva em SL

 Um assassinato foi registrado, na noite dessa terça-feira, 7, por volta das 21h, no km 27 da BR-135, na localidade Campo de Peris, município de Bacabeira/MA. De acordo com informações divulgadas pelo Núcleo de Comunicação Social da Polícia Rodoviária Federal (Nucom/PRF), a vítima foi identificada como José Antonio Saraiva, que era pastor evangélico. Ele estava em uma caminhonete VW Amarok, de cor branca, placa de Minas Gerais, acompanhado da família.

Conforme o Nucom/PRF, o pastor viajava da Região Tocantina em direção a São Luís, quando o veículo sofreu pane mecânica. No momento em que o carro estava parado na rodovia, os bandidos aproveitaram a oportunidade e saíram do mato, para anunciar o assalto. Por motivos ainda investigados pela Delegacia de Polícia Civil de Bacabeira, José Antonio foi atingido por disparos de arma de fogo, no instante em que o condutor descia da caminhonete com os braços para cima, em sinal de rendição.

O pastor Saraiva, como era conhecido na Igreja Evangélica, ainda foi levado pela esposa até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Maracanã, mas não resistiu aos ferimentos. Além da companheira, a filha e a neta da vítima estavam na caminhonete. Segundo os policiais rodoviários federais apuraram, os criminosos levaram os pertences dos ocupantes, como uma mala e celulares.

A PRF, em conjunto com a Polícia Militar, fez rondas nas imediações da rodovia, mas não localizaram os assaltantes.

Morte de bailarina

Um caso parecido aconteceu no dia 26 de março de 2016, quando a professora de História e bailarina Ana Lúcia Duarte Silva, 51, foi baleada em um assalto, na BR-135, no bairro Pedrinhas, na capital maranhense. Ela estava em um carro, juntamente com uma amiga, no momento em que bandidos surgiram também do mato. A vítima reduziu a velocidade em um quebra-molas.

Ela guiava um carro Fiat Palio prata, acompanhada de Fernanda Sá Macedo, 30. Devido aos buracos na BR-135, teve que passar em baixa velocidade. Como a vítima não teria parado o veículo de imediato, um dos suspeitos atirou na direção do automóvel, atingindo Ana na cabeça. O crime ganhou repercussão, pois a historiadora integrava o Tambor de Crioula do Mestre Amaral e participava de diversos movimentos culturais.

o ESTADO

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: