Tévez decide no fim, e Athletico-PR leva virada do Boca Juniors na Bombonera

A estreia do Athletico-PR na Bombonera teve todos os ingredientes de um bom jogo na casa do Boca Juniors: chances perdidas, polêmicas, expulsão, pressão do rival, mas um resultado que não interessava à equipe de Tiago Nunes. De virada, com gol de Tévez nos acréscimos do segundo tempo, o Boca venceu por 2 a 1, na noite desta quinta-feira, com casa cheia, e se classificou em primeiro lugar do Grupo G da Copa Libertadores. Marco Ruben (sempre ele) marcou o gol do Furacão, enquanto Lisandro López empatou, e Carlitos virou – quando o Boca já tinha um jogador a mais (Wellington foi expulso). Os dois clubes estão classificados para as oitavas de final do torneio.

Como fica?

Com o resultado, o Boca vai a 11 pontos e termina o Grupo G em primeiro lugar. O Athletico fica com nove, em segundo. Os dois clubes vão conhecer seus rivais nas oitavas de final na próxima segunda-feira, em sorteio a ser realizado pela Conmebol em sua sede, no Paraguai. 

Polêmicas no apito

O árbitro Carlos Orbe não teve vida fácil na Bombonera. Ainda no primeiro tempo, não viu pênalti para o Athletico em toque claro na mão de Buffarini após chute de Renan Lodi. Na segunda etapa, deixou seguir lance duvidoso que resultou em gol do Boca – López pegou sobra e estaria impedido; a dúvida é se a bola tocou ou não em Izquierdoz. No fim, Wellington foi expulso justamente após entrada em Tévez.

Possíveis rivais

Com a segunda posição no Grupo G, o Athletico terá um dos seguintes adversários nas oitavas, todos líderes de seus grupos: Internacional, Cruzeiro, Olimpia, Flamengo, Cerro Porteño, Palmeiras, Libertad e o próprio Boca Juniors.

Marco Ruben, o carrasco

O centroavante argentino se sentiu em casa na Bombonera e fez o quarto gol dele em dois jogos contra o Boca na Libertadores – havia marcado os três na vitória do Furacão por 3 a 0, na Arena da Baixada, também pela fase de grupos. Deixou o jogo no fim do segundo tempo.

Primeiro tempo

O Athletico, aos poucos, conseguiu controlar os avanços do Boca Juniors e teve 45 minutos relativamente tranquilos. No início, a pressão natural da Bombonera fez o Boca ir ao ataque, afundar as linhas de marcação do rival e criar algumas chances, principalmente em bolas cruzadas – uma tentativa de letra de Benedetto e um chute quase da pequena área de Lisandro López assustaram o goleiro Santos. Depois disso, o Furacão equilibrou a posse de bola e saiu para o jogo, levando perigo com o rápido e driblador Rony. Benedetto, maior perigo do Boca, foi substituído antes do fim do primeiro tempo com dores musculares. Ábila entrou em seu lugar.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: